6 a 31 de Julho, 2010: Programação - INSTITUTO FRANCO-PORTUGUÊS

EXPOSIÇÂO
De 6 a 31 de Julho
O mês de Julho traz-nos outra exposição que inaugura a 6 de Julho e ficará patente até ao fim do mês.
Uma exposção de Olivier Perriquet e Fabianny Deschamps, dois franceses presentes na Bienal de Porto Santo.
Os dois artistas estarão presentes na dia da inauguração: 6 de Julho às 18h30 e disponíveis para falarem dos seus trabalhos. O Convite está feito. Esperamos por si!
EXPOSIÇÂO
De 13 a 17 de Julho (dias úteis das 9h00 às 20h00)
CHAMBRE (NOIRE) – DUPLICATIONS
Com a cumplicidade de Jacques Roubaud e o Museu da Fotografia d’Aurillac, athra&compagnie propõe uma exposição de fotografias de Alix Cléo Roubaud
Projecção da curta-metragem de Jean Eustache «Les photos d’Alix”
Inauguração em presença da artista : 13 de Julho às 18h30.
No âmbito do Festival Internacional de Almada
LITERATURA
8 de Julho às 18h30
As   ERRÂNCIAS LITERÁRIAS voltam à Mediateca do IFP. Desta vez a conversa conduzida por Paula Mendes Coelho e Luis Carlos Pimenta é em torno do conhecido autor, Jean Echenoz.  O livro escolhido é Je m´en vais ( Editions de Minuit / Terramar). Boa leitura!"


Instituto Franco-Português

Avenida Luís Bívar, 91 - 1050-143 Lisboa | Tel : 21 311 14 00 21 311 14 00  | Fax : 21 311 14 68 | infos@ifp-lisboa.com

Transportes
Metro: Saldanha, São Sebastião
Autocarros: 16/21/44/49/83/718/726/745

Fonte:
http://www.ifp-lisboa.com/

27 de Junho, 2010: Concerto - ORQUESTRA GERAÇÃO

SALA PRINCIPAL M/3
Domingo às 12h30
 
"Inspiradas no modelo do Programa das Orquestras Sinfónicas Infantis e Juvenis da Venezuela, de que a Orquestra Simón Bolívar é o expoente máximo, as Orquestras Geração são um exemplo da utilização do ensino da música como meio para favorecer a inclusão social.
A orquestra inicial, criada em 2007 no âmbito de um projecto social mais alargado no Casal da Boba (Amadora), sob a responsabilidade da Câmara Municipal da Amadora e Fundação Calouste Gulbenkian, tem vindo a integrar novos agrupamentos. Em Vialonga (2008, Vila Franca de Xira) e no Bairro do Casal da Mira (2009, Amadora) foram implementadas mais duas orquestras, abrangendo cerca de 200 crianças no total. São formadas por alunos do 1º ao 8º ano de escolaridade, na sua maioria, que desta forma aprendem a expressar-se através da música e a desenvolver a auto-confiança e o conhecimento necessários a um crescimento equilibrado e de portas abertas para o futuro.
No presente ano lectivo de 2009/2010 begin_of_the_skype_highlighting              2009/2010      end_of_the_skype_highlighting foram lançados mais sete orquestras juvenis na Área Metropolitana de Lisboa (Sintra, Sesimbra, Loures e Oeiras) incluindo outra na Amadora, desta feita, no Bairro do Zambujal.
Sob responsabilidade pedagógica da Escola de Música do Conservatório Nacional, actualmente este projecto é apoiado por: Ministério da Educação, Ministério da Administração Interna, Governo Civil de Lisboa, Rádio Televisão Portuguesa, Universidade de Lisboa, Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional de Lisboa e Vale do Tejo, Área Metropolitana de Lisboa, Junta Metropolitana de Lisboa, Câmaras Municipais de Vila Franca de Xira, Loures, Amadora, Oeiras , Sintra e Sesimbra, grupo Chamartin-Dolce Vita e Fundações EDP, PT e Calouste Gulbenkian.

“(...) Vejo isto como o começo de um futuro para mim. Eu a tocar em orquestras, ou sozinha. Só me vejo num palco cheio de gente à minha frente e eu ali a tocar."
Neusa Tavares, In Diário de Notícias, A contrabaixista do bairro social
Co-produção  SLTM ~ Escola de Música do Conservatório Nacional"

Preçário: ENTRADA LIVRE. Bilhetes disponíveis a partir das 13h00 no dia anterior ao concerto.

Transportes
Metro: Baixa-Chiado
Autocarros: 92/758/790
Eléctrico: 28

Fonte e imagem:
http://www.teatrosaoluiz.pt/catalogo/detalhes_produto.php?id=129&tabs=sobre#sep

25 de Junho, 2010: Maratona de Leitura - O ANO DA MORTE DE RICARDO REIS, JOSÉ SARAMAGO

"Amigos,
Porque acreditamos que a voz dos grandes escritores só morre quando a nossa voz os deixa morrer, convidamos-vos a ler em voz alta O Ano da Morte de Ricardo Reis, na próxima sexta-feira, dia 25,  na Casa Fernando Pessoa. Faremos a leitura integral desta obra, numa maratona que terá início às 12 horas.
Contamos convosco,
Inês Pedrosa
Leitores confirmados: Pilar del Rio, Leonor Xavier, José Luís Peixoto, António Mega Ferreira, José Mário Silva, Luísa Costa Gomes, Gonçalo M. Tavares, Fernando Pinto do Amaral, Clara Pinto Correia e Patrícia Reis.

Pilar del Rio, viúva do escritor, fará a primeira leitura seguida de Leonor Xavier (12h30), José Luís Peixoto (14h), António Mega Ferreira (14h30), José Mário Silva (15h), Guilherme d'Oliveira Martins (15h15), Ana Maria Martinho (15h30), Patrícia Reis (15h45), Hélia Correia (18h30), Jaime Rocha (19h), Luísa Costa Gomes (19h30), António Carlos Cortez (20h30), Gonçalo M. Tavares (21h30), Maria do Céu Guerra, Fernando Pinto do Amaral e Clara Pinto Correia.

Data: 2010-06-25 Hora: 12:00
Local: Casa Fernando Pessoa"
Rua Coelho da Rocha, 16-18
Lisboa


Transportes
Metro: Rato
Autocarros: 74, 709, 713, 720, 727, 738
Eléctricos: 25, 28

Fonte:
http://www.cm-lisboa.pt/?idc=136&idi=53018

25 e 26 de Junho, 2010: Festa - INTERCULTURALIDADE

 
"A Alameda D. Afonso Henriques recebe, no próximo fim-de-semana, uma festiva mostra de múltiplas expressões culturais, organizada pelo Conselho Municipal para a Interculturalidade e a Cidadania.
Assim, entre as 20h00 e as 24h00 do dia 25 e entre as 12h00 e as 24h00 do dia 26, a Alameda D. Afonso Henriques, junto à Fonte Luminosa, será palco de mostras de Artesanato e Gastronomia dos mais diversos cantos do Mundo e cenário para manifestações artísticas como Dança, Teatro e Música de diferentes origens.
Nesta organização, juntam-se ao Conselho Municipal para a Interculturalidade e a Cidadania dezenas de Associações e outras entidades empenhadas na integração de imigrantes e no diálogo intercultural.
A entrada é livre.
Data: 2010-06-26 Hora: 12:00
Local: Alameda D. Afonso Henriques (Fonte Luminosa)"
 
Transportes
Metro: Alameda (linha verde e linha vermelha)
Autocarros: 7, 10, 16, 17, 20, 35, 708, 718

Fonte:
http://www.cm-lisboa.pt/?idc=136&idi=53033

24 de Junho, 2010: Prova de Vinhos - QUINTA DO PINTO

das 18h às 22h

 
logo pinto 
Da região de Alenquer chegam-nos os vinhos Quinta do Pinto, uma empresa familiar criada em 2003 por António Cardoso Pinto, com a aquisição da propriedade da Quinta do Anjo. Trata-se de uma propriedade de 100 hectares de solos argilo-calcários, em encostas suaves expostas a Sul e com uma tradição de produção de vinhos de excelência.

A variedade de castas tintas inclui Alfrocheiro, Castelão, Tinta Barroca, Tinta Roriz, Tinta Miúda, Touriga Nacional, Cabernert Sauvignon, Merlot, Petit Verdot e Syrah. Nas castas brancas estão presentes o Arinto, Antão Vaz, Fernão Pires, Chardonnay, Marsanne, Pouilly Fumé, Roussane, Sauvignon Blanc e Viognier.

Este produtor tem no mercado três rótulos DOC Alenquer, Região de Lisboa, com as designações “Vinhas do Lasso”, “Pinto” e “Quinta do Pinto”.

À prova vão estar os vinhos:




garrafa 
quinta pinto

Pinto Viognier Branco 2008

Pinto Sauvignon Blanc Branco 2009


Vinha do Lasso Branco 2008


Quinta do Pinto Touriga Nacional Tinto 2008


Quinta do Pinto Cabernet Sauvignon / Merlot Tinto 2008

www.quintadopinto.pt
 
 
Transportes
Metro: Santa Apolónia
Autocarros: 28/34/706/745/759/794/781/782
Fonte e imagens:
http://www.delidelux.pt/pt/default.html

25 de Junho, 2010: Massa Crítica - BICICLETADA

"Sobre a Massa Crítica

O que é?

Uma Massa Crí­tica (MC) é um passeio no meio da cidade feito em transportes suaves. Realiza-se sempre na última sexta-feira de cada mês às 18h00, partindo de um local pré-determinado.

As MC também são conhecidas nos países lusófonos como "Bicicletada" porque a maioria dos participantes desloca-se em bicicleta. No entanto o termo "Massa Crítica" é mais apropriado porque encoraja a participação de pessoas que se deslocam de outras formas suaves: patins, skate, trotinete, etc
Para lá das motivações pessoais de cada participante, a MC é uma celebração da mobilidade suave que permite aos ciclistas circular com mais segurança e facilidade, marcando a sua presença no espaço público e tornando-a visível pelo número e densidade da concentração.  Esta "segurança através da quantidade" torna-a uma excelente forma de iniciação à utilização de veículos suaves em espaço urbano.
Parados no Semáforo, MC Lisboa 
Junho 2007. Foto: FBrunoO termo "massa crítica" refere-se à situação comum na China em que quando um ciclista pretende, por exemplo num cruzamento, atravessar por entre uma linha de tráfego para seguir o seu caminho, espera, então que se junte a ele um grupo numeroso de outros ciclistas que queiram ir no mesmo sentido, para então atingindo-se o número de pessoas suficientes possam então dar seguimento ao seu sentido de circulação."

"18:30 - 21:00
  • Lisboa - Concentração às 18:00 e saída às 19:00, no Marquês Pombal, no início do Parque Eduardo VII
...Há alguma variedade na hora de início das bicicletadas pois, para além do mais, espera-se sempre cerca de meia hora pela chegada de mais participantes... "

Fontes:
http://www.massacriticapt.net/?q=sobre-a-massa-critica
http://www.massacriticapt.net/
Imagem:
http://www.massacriticapt.net/?q=sobre-a-massa-critica/massa-critica-em-lisboa

3 de Julho, 2010: Aula de Tango - CENTRO CULTURAL DR. MAGALHÃES DE LIMA

No próximo dia 3 de Julho irá decorrer uma aula de Tango, aberta a todos. A aula será no Centro Cultural Dr. Magalhães Lima, na Rua do Salvador 2A Lisboa (junto ao Largo das Portas do Sol, Alfama, Mapa), das 15: 30 às 19:15.

A aula será orientada pelos nossos colegas aikidocas e milongueiros Manuel Mealha e Teresa Eusébio.
Para mais informações e/ou inscrição, por favor, envie um e-mail para aikidocamposantana@gmail.com

Detalhes:
- Roupa confortável, calçado de sola preferencialmente ou qualquer outro material que permita deslizar e não aderir ao chão, senão venham como puderem. Quem não tiver sapatos de sola, arranje um par de meias velhas para pôr por cima do calçado.
- Sugerimos que tragam acompanhante senão tentaremos arranjar-vos um(a) parceiro(a).


Transportes:
Autocarro: 37
Eléctricos: 12, 28
Metro: St. Apolónia, Terreiro do Paço, Baixa-Chiado, Rossio e Martim Moniz

10, 17 e 24 Junho, 2010: Concertos - PÔR-DO-FADO

às 19h
Esplanada do Museu do Fado
Largo do Chafariz de Dentro, 1
Entrada livre, M/3

Quatro concertos, quatro reportórios é o mote para este conjunto de instrumentais ao final da tarde, onde a guitarra portuguesa é a protagonista. A carta-branca foi entregue a José Manuel Neto, um dos mais importantes guitarristas da actualidade. Todas as quintas José Manuel Neto traz um convidado especial.

10 Junho
Aldina Duarte
17 Junho
Maria Amélia Proença
24 Junho
Rão Kyao

Transportes
Metro: Santa Apolónia, Terreiro do Paço
Autocarros: 28, 35, 706, 745, 759, 781, 782, 794

Fonte e imagem:
http://www.festasdelisboa.com/?t=events#content_top

14 de Junho, 2010: Festa - TERCEIRO ANIVERSÁRIO DA FÁBRICA DO BRAÇO DE PRATA


Inauguração da Livraria Eterno Retorno/Braço de Prata, em colaboração com as editoras Assírio & Alvim, Cotovia e Relógio d’Água.

Jam Session com Júlio Resende, Sílvia Nazário e Claudio Kumar, Nicole Eitner, Helder Moutinho, Daniel Schvetz. 22H00 Sala Nietzsch.

Rua da Fábrica do Material de Guerra, nº1,
Lisboa
(em frente aos Correios do Poço do Bispo) mapa

Transportes
Autocarros: 28, 210, 718, 755, 781, 782

Fonte:
Imagem:

9, 16, 23 e 30 de Junho, 2010: Milongas - TANGO NA RUA

Quarta-feira, 9 de Junho de 2010
Milonga no Ateneu Madre Deus [107]
21:30 às 24:00

Rua Nicolau Tolentino, 2
Lisboa - mapa >

Se o tempo estiver bom vamos para fora!
O exterior é calçada portuguesa, para além dos sapatos, tragam ténis!

-------------------------------------------------
Quarta-feira, 16 de Junho de 2010
Milonga no Miradouro Portas do Sol [109]
21:30 às 24:00

Miradouro Portas do Sol
Lisboa - mapa >

-------------------------------------------------

Quarta-feira, 23 de Junho de 2010
Milonga no Jardim do Torel [110]
21:30 às 24:00

Abre especialmente para o TnR depois das 19 horas!
A milonga começa às 21:30 
Para além dos sapatos, tragam ténis

Jardim do Torel
Lisboa - mapa >
Ao pé do Campo Santana/Cp. Mártires da Pátria, na Rua Júlio de Andrade, junto à Casa de Galicia.

Há quiosque com sopa e bebidas

Autocarros: 23, 30
Elevador do Lavra


--
Quarta-feira, 30 de Junho de 2009
Milonga no Padrão dos Descobrimentos [111]
21:30h às 24:00h

Padrão dos Descobrimentos
Lisboa - mapa >
Fonte:
http://tangonarua.blogspot.com/2010/06/milongas-tnr-em-junho.html

8 de Junho, 2010: Debate - QUE PEIXE COMER?

às 18h
Por favor, carregar duas vezes na imagem para ampliar.

Site: que peixe comer (aqui).

Transportes
Metro: Cais do Sodré
Comboio: Cais do Sodré
Barcos: Cais do Sodré
Autocarros: 1, 32, 35, 36, 44, 706, 714, 781, 782
Eléctricos: 15, 18, 25

Artigo do Jornal Público sobre o consumo de peixe:
http://www.publico.clix.pt/Sociedade/ambientalistas-lancam-site-para-ajudar-ao-consumo-sustentavel-de-peixe_1441010
Fonte:
http://pongpesca.wordpress.com/2010/06/01/lancamento-do-website-%E2%80%9Cque-peixe-comer%E2%80%9D-no-dia-8-de-junho-as-18h-no-mercado-da-ribeira-lisboa/
Imagem:
http://pongpesca.files.wordpress.com/2010/06/newsletterquepeixecomer3.jpg

até 25 Agosto, 2010: Ciclo de Cinema : Cinema e a Mente

Ciclo cinema e a mente
às 18h
Sala Polivalente do Centro de Arte Moderna
Todas as sessões são de entrada livre.

"O leque de filmes escolhidos para este ciclo cobre praticamente toda a história do cinema, de Caligari, nos anos 10, a Elephant, já neste século. Não houve a preocupação de "antologizar", antes de deixar um testemunho de como os problemas mentais estiveram sempre mais ou menos presentes na trajectória do cinema ao longo do século XX, acompanhando, igualmente, as preocupações sociais do século sobre o modo como as pessoas acompanhavam a transformação e a mudança.

Um núcleo predominante no conjunto de filmes situa-se na fronteira entre as décadas de 50 e 60. Não será de estranhar, já que este é também o momento em que o cinema americano e os seus modelos dominantes enfrenta reais problemas para fazer passar comercialmente as receitas do passado, baseadas, esencialmente, num cinema de acção imediatista. Como refere Deleuze, este é o momento em que surge um "cinema mental" que dará corpo (e espírito) a um novo tio de personagens e situações e, muito rapidamente, também a um novo tipo de espectadores. Sem que seja um seu objectivo directo, a programação deste ciclo dará imagem a esta importante transformação histórica na sujectividade do espectáculo do cinema.
João Mário Grilo, Comissário

9 de Junho
Spellbound, de Alfred Hitchcock
16 de Junho
The Snake Pit, de Anatole Litvak
23 de Junho
Les yeux sans Visage, de Georges Franju
30 de Junho
Peeping Tom, de Michael Powell
7 de Julho
Vivre sa vie, de Jean-luc Godard
14 de Julho
Shock Corridor, de Samuel Fuller
21 de Julho
Lillith, de Robert Rossen
28 de Julho
Persona, de Ingmar Bergman
4 de Agosto
Jaime, de António Reis
Titticut Follies, de Frederick Wiseman
11 de Agosto
Zabriskie Point, de Michelangelo Antonioni
18 de Agosto
One flew over the cuckoo’s nest, de Milos Forman
25 de Agosto
Elephant, de Gus Van Sant

Informações:
forum.saude@gulbenkian.pt

No âmbito do Fórum Gulbenkian de Saúde 2010
MIND FACES, As diferentes faces da saúde mental"

Transportes
Metro: São Sebastião, Praça de Espanha
Autocarros: 16/56/718/726/742/746/718

Fonte:
http://www.gulbenkian.pt/index.php?object=160&article_id=323

até 13 de Junho, 2010: Exposição - "TÉRMICO", GABRIELA ALBERGARIA

""Térmico", no Pavilhão Branco do Museu da Cidade, em Lisboa, é o momento oportuno para o reconhecimento de um caso singular da arte portuguesa. E de uma obra que encontra nos espaços naturais o material do seu fazer.
Uma árvore tombada em cuja base alguém acoplou um parafuso. Uma massa de terra feita escultura e destituída de fertilidade. Outra árvore e um desenho de fundo que, juntos, criam um cenário. Um desenho de uma paisagem. Eis a descrição possível das obras que Gabriela Albergaria (Vale de Cambra, 1965) apresenta em "Térmico", exposição individual, com curadoria de Delfim Sardo, que fica no Pavilhão Branco do Museu da Cidade, em Lisboa, até meados de Junho. Ao todo, são três desenhos e duas esculturas em que as técnicas da botânica "servem" como dispositivos da arte dirigidos à experiência e ao conhecimento do espectador - descubram no pavilhão os ramos de árvores que "são" desenhos, ou a matéria orgânica como forma escultórica.
É esta capacidade de "trabalhar", com várias disciplinas (desenho, escultura, fotografia), espaços e lugares associados ao universo da natureza - como os jardins, as florestas, as estufas - que faz de Gabriela Albergaria um caso singular da arte portuguesa. O seu percurso permanece porém, relativamente "secreto", pelo que se justifica o devido "flashback". Façamo-lo.
Formada em Pintura pela Faculdade de Belas-Artes do Porto, desceu no início dos anos 90 a Lisboa, tendo aí desenvolvido a primeira fase da sua carreira. Expôs gravura na Galeria Monumental, trabalhou em ilustração e ensinou na Ar.Co - Centro de Arte e Comunicação Visual, antes de conseguir em 2000 uma bolsa enquanto artista residente no programa internacional da Kunstlerhaus Bethanien, em Berlim. Desde então vive na capital alemã e expõe com mais frequência no estrangeiro do que em Portugal.
As razões que ditaram a partida foram prosaicas - necessidade de tempo para desenvolver o trabalho, fuga às preocupações económicas -, mas as consequências da deslocação acabaram por ditar um salto. "Já tinha abordado antes o tema dos jardins, mas em Berlim comecei a estabelecer uma relação especial com os espaços e o exterior, ao perceber a forma como as pessoas viviam os lugares. Isso ajudou-me a pensar mais especificamente o meu trabalho à volta das questões da natureza", recorda. O confronto do corpo com a cidade também contribuiu para outras coordenadas. "Foi lá que passei a aumentar os desenhos, pois tinha um estúdio muito maior. Comecei, também, a fazer outras coisas em termos de escala, porque vivia-a de outra maneira".
Outro momento relevante: a série de visitas que Gabriela Albergaria realizou a jardins e parques, acompanhada do curador e historiador Peter Lang. Não apenas na Alemanha, mas também na Polónia e na República Checa. "Interessava-me, sobretudo, a relação desses povos com a natureza. Visitámos, por exemplo, o jardim Dessau-Wörlitz [construído no final do século XVIII e inspirado nos ideais do iluminismo] e o Bad Muskau, criado pelo conde Fürst Pückler, com amostras de alguns cultivos da Alemanha e uma pirâmide de terra sob a qual está sepultada a amante do conde".

Uma natureza substituta
O jardim como espaço de vivência física e emocional é o tópico central de "Un jardin à ma façon" (2006), obra apresentada pela primeira vez no Centro Cultural Calouste Gulbenkian de Paris e refeita para "Térmico". Consiste numa peça inspirada na correspondência de Calouste Gulbenkian com o arquitecto da sua casa/jardim de campo Les Enclos. A artista desenhou, a lápis de cor e sobre papel, um dos caminhos descritos pelo coleccionador; depois, paralelo ao desenho, colocou uma árvore caída num suporte de madeira. Pela sua qualidade formal e estética, é uma das peças mais desconcertantes: os ramos parecem desenhos tridimensionais e o desenho de fundo ganha a qualidade de um cenário.
A artista, no entanto, mostra-se pouco inclinada para certas categorias. "Gosto de criar nas minhas peças um conjunto de harmonias, não tenho medo do belo. Mas creio que o meu trabalho se afasta desse conceito. É mais importante para mim a questão da experiência. Não me interessa a via mística, mas desejo que as pessoas tenham uma relação com as peças que não passe apenas pelo olhar". De facto, é difícil descortinar o "belo" na escultura "Árvore com parafuso" (2010). Sem raiz, substituída por um parafuso de aço galvanizado, suspenso por cabos e atravessado por espigões, o tronco de uma acácia configura um ser uma situação tão violenta quanto artificial. Não há vestígios de paisagem, apenas um objecto que se desenha no espaço e delimita a presença do corpo do espectador.
Um desafio semelhante à percepção do objecto e do espaço toma forma em "Couche Sourde" (2010), inspirada numa técnica homónima de cultivo. Explica a artista: "É um método de germinar sementes através do composto e do adubo, e que existia antes das estufas. A terra, quando está a formar o composto, ganha calor e força a semente a abrir. Concebi-a em Oxford durante a residência no Botanic Garden, onde existe um arboreto com uma área de terra com composto orgânico. Interessou-me o volume, a cor, o facto de ser uma matéria simples, as possibilidades que oferece". Entretanto, a artista prensou a terra (através do processo da cofragem) e retirou-lhe oxigénio, impedindo a germinação. No seu lugar, criou um objecto artístico, uma escultura que, vista de um ângulo particular, sugere uma linha no espaço, sem volume ou espessura.
Voltemos a um dos motivos mais recorrentes na obra de Gabriela Albergaria: o jardim. Afinal de que forma a artista o aborda? Como material, dispositivo, tema? "Para mim é uma espécie de substituto da 'natureza pura'", responde. "Se num primeiro momento surge e surgiu como fascínio, é na sua analise exaustiva que encontro sentido. Na vivência do espaço físico ou nas impressões do local, físicas e mentais. Passear num espaço natural é para mim uma forma de 'desacelerar' e de me relacionar com outro tempo com as coisas". O jardim, resume, é "um ponto de partida para pensar sistemas de conhecimento e de poder".

Novas formas de vida
"Under An Artificial Sky", o segundo desenho de "Térmico", é um bom exemplo desse entendimento. Gabriela Albergaria reconstituiu um cenário natural de uma das mais importantes estufas da Alemanha, construída na ilha de Pfaeuninsel e destruída num incêndio em 1880. De grandes dimensões, envolvendo o espectador, o desenho deixa entrever pequenas invasões, desenhos sobre desenhos, uma ficção: flores e plantas exóticas misturadas com a flora local. Gabriela Albergaria alude, assim, a uma situação de artificialidade (a estufa) e à colonização das plantas em território europeu. E, dessa forma, interroga não apenas as fronteiras entre o natural e o artificial, mas também o seu próprio processo de trabalho. "Ao criar uma relação privilegiada e até de encantamento, uma estufa torna-se mais real do que o próprio jardim exterior que a envolve. E eu, ao importar técnicas da agricultura para o meu trabalho, crio plantas fora do seu ambiente natural, e até novas formas de vida". A artificialidade da natureza perante a artificialidade da arte, como acontece exemplarmente em "Un jardin à ma façon"?
A meio do primeiro piso, revela-se outro desenho. "Foi a última peça que fiz para aqui. Teve vários momentos. Pensei em fazer uma frase desenhada na parede, como noutros projectos, mas escolhi a moldura. Tirei-lhe assim a conotação romântica e ficou um enunciado minimal e poético que aglutina a exposição. Fundamentalmente, o solo numa estufa recolhe o calor do sol e liberta-o durante a noite. Quanto maior a estufa, mais calor retém"."

Campo Grande, 245Fachada Museu da Cidade1700-091 begin_of_the_skype_highlighting 1700-091 end_of_the_skype_highlighting Lisboa
Transportes
Metropolitano: Linha verde / estação Campo Grande Autocarros: 7, 36, 47, 78, 96, 106, 108, 701, 738, 745, 750, 767, 777
Horário
Terça a Domingo das 10:00h às 13:00h e das 14:00h às 18:00h
Encerra 2ª feira e feriados

Fontes:
http://ipsilon.publico.pt/artes/texto.aspx?id=256707
http://www.museudacidade.pt/Visitas/Paginas/default.aspx
Imagem:
http://content-portal.istoe.com.br/istoeimagens/imagens/mi_10801668423040237.jpg

6 de Junho, 2010: Visita Guiada - TAPADA DAS NECESSIDADES

VISITAS GUIADAS À TAPADA DAS NECESSIDADES
Todos os 1ºs Domingos do mês, de Junho a Outubro 2010
Participação gratuita
Encontro às 15h00 na Portaria Sul da Tapada das Necessidades, Largo das Necessidades, freguesia dos Prazeres, Lisboa
Promovido pelo Grupo dos Amigos da Tapada das Necessidades

A Tapada das Necessidades pode ser visitada de segunda a sexta entre as 8 e as 19h e aos sábados, domingos e feriados, entre as 10 e as 18h (Inverno) ou 19h (Verão).

Inscrições gratuitas, através de: gatnecessidades@gmail.com


Transportes
Comboio: Alcântara Mar, Alcântara Terra
Autocarros: 12, 42, 60, 713, 727, 773


Fonte:
http://gatnecessidades.blogspot.com/2010/05/visitas-guiadas-tapada-das-necessidades.html

Imagem:
http://3.bp.blogspot.com/_kthNOXLPmUE/TAUcXXNevRI/AAAAAAAABB4/Ypoj43O8Mvs/s1600/Estufa+interior.jpeg

6 e 30 de Junho, 2010: Museu Nacional de Arte Antiga - VISITAS GUIADAS E OFICINAS PARA CRIANÇAS


"Visitas orientadas para adultos
Domingo, 6 de Junho | 11h30 e 15h30
Os 4 Elementos: O Ar e o Fogo nas colecções do MNAA.
Primeira visita de duas sobre os 4 elementos.
Sem inscrição prévia. Participação com o bilhete de entrada do Museu.

Actividades para crianças
Domingo, 6 de Junho | 15h30
Os 4 Elementos: Ar e Fogo
Visita com oficina, crianças dos 6 aos 12 anos
Inscrições gratuitas, individuais e limitadas a partir de 1 de Junho, através do nº de telefone 213912800.

Visitas guiadas - 10 Obras de referência
Quarta-feira, 30 de Junho | 18h00 (Entrada Livre)
Colcha (fragmento), Índia, final do século XVI."

Entrada livre no Museu Nacional de Arte Antiga aos Domingos e Feriados, até às 14h. As crianças, até 14 anos, têm sempre entrada grátis.

Museu Nacional de Arte Antiga
Morada: Rua das Janelas Verdes
1249 - 017 begin_of_the_skype_highlighting              1249 - 017      end_of_the_skype_highlighting Lisboa
Telefone: (351) 21 391 28 00 begin_of_the_skype_highlighting              (351) 21 391 28 00      end_of_the_skype_highlighting



Horário do Museu
3ª feira: 14h00-18h00
4ª feira a Domingo: 10h00-18h00
Encerrado às 2ªs feiras, 3ªs feiras de manhã, 1 de Janeiro, Domingo de Páscoa, 1 de Maio e 25 de Dezembro.

Transportes
Autocarros: 28, 60, 713, 714, 727, 732
Eléctricos: 15, 18, 25
Comboio: Santos

Fonte:
http://mnaa.imc-ip.pt/pt-PT/destaques/ContentDetail.aspx?id=412
Imagem:
http://mnaa.imc-ip.pt/pt-PT/exposicao%20permanente/HighlightList.aspx

7 de Junho, 2010: Palestra - MAJORA CARTER


"A AVAAL está a organizar um encontro sobre ecologia cívica e criação de empregos verdes em áreas urbanas em crise, e terá como cabeça de cartaz a oradora Majora Carter, considerada uma das mais importantes ambientalistas sociais do século, fundadora da Sustainable South Bronx e do BEST – Bronx Environmental Stewardship Program, programas de reconhecido mérito e inovação na revitalização urbana e criação de empregos verdes.
O encontro ocorrerá no próximo dia 7 de Junho, segunda-feira, pelas 17h00, nas instalações do CUPAV (ao lado do Colégio São João de Brito, no Lumiar)."

Transportes
Metro: Lumiar
Autocarro: 3, 108, 701



Fonte:
http://www.viverlisboa.org/?p=7967

2 de Junho, 2010: Milonga - ESPAÇO BENTO MARTINS

"Entrada Livre e Gratuita
Uma forma de agradecer o espaço para dançar é consumir no bar :)

Milonga no Espaço Bento Martins
21:30 às 24:00
 
2 pistas para dançar! 1 interior e 1 exterior.
A exterior é de alcatrão, para além dos sapatos, tragam ténis!


Junta de Freguesia de Carnide (em frente à Igreja da Luz)
Largo das Pimenteiras, 6 A,
1600-576 begin_of_the_skype_highlighting              1600-576      end_of_the_skype_highlighting Lisboa -
mapa >

Metro: Linha Azul - Carnide e Colégio Militar
Autocarros: 3, 64, 726, 767, 768

Há um restaurante mesmo ao lado, no jardim, aberto na hora da milonga.
"

Fonte:
http://tangonarua.blogspot.com/2010/06/milongas-tnr-em-junho.html

6 de Junho, 2010: Bicicletas - CURSOS E CONDUÇÃO DE OFICINA ABERTA

"Depois da aposta na construção de vias cicláveis para melhorar a mobilidade em bicicleta, a Junta de Freguesia de Benfica lança agora um projecto inovador que visa aumentar a segurança e o número de utilizadores deste meio de transporte: cursos de condução em estrada.

O projecto “Benfica em Bicicleta” foi desenvolvido em conjunto com a Cooperativa POST, sediada na Freguesia de Benfica, com o objectivo de tornar esta zona da cidade num exemplo de mobilidade sustentável. As infra-estruturas (ciclovias e parques de estacionamento para bicicletas) esperam agora por novos ciclistas que venham dar um novo e decisivo impulso à aposta que esta Freguesia de Lisboa tem feito no uso da bicicleta como alternativa de transporte.

Os cursos de condução serão leccionados por instrutores certificados no ensino de condução de bicicleta em estrada e visam dotar os ciclistas com conhecimentos que lhes permitam usar não só as vias exclusivas a velocípedes mas também as ruas e avenidas, juntamente com o restante tráfego motorizado, de uma forma segura e confiante. Qualquer pessoa a partir dos 10 anos de idade poderá participar.

Além das aulas de condução de bicicleta, o projecto inclui a realização periódica de oficinas abertas onde os participantes poderão aprender a realizar pequenas operações mecânicas, tais como remendar ou substituir um pneu, afinar mudanças e travões. Os mecânicos residentes têm como missão ensinar e ajudar a resolver problemas comuns e de fácil resolução mas também a diagnosticar problemas mais complexos que possam pôr em causa a segurança e o conforto dos ciclistas.

Este é um projecto vocacionado para a aprendizagem de modo a tornar o uso da bicicleta uma opção viável de transporte nas pequenas deslocações quotidianas. Depois da construção das infra-estruturas cicláveis, já existentes na freguesia, o projecto “Benfica em Bicicleta” aposta na formação de novos ciclistas que justifiquem o primeiro investimento. Os participantes neste projecto ficarão mais aptos e motivados a usar bicicleta como meio de transporte e serão também um veículo importante para que outras pessoas presentes nas suas redes sociais, família e amigos, ganhem nova motivação para experimentar.

As aulas de condução de bicicleta e a oficina aberta têm início marcado para Domingo dia 30 de Maio e acontecerão uma vez por mês até Novembro.

Poderá encontrar toda a informação relativa aos cursos no site http://postlisboa.blogspot.com/ e inscrever-se através do e-mail benficaembicicleta@gmail.com."

"O Curso tem 5 horas de formação que inclui1 hora de sessão teórica
2 horas de sessão prática
2 horas de oficina aberta
As sessões práticas serão fora de estrada, o equivalente ao nível 1B da Cenas a Pedal, e só depois de feita esta sessão os inscritos poderão fazer a sessão em estrada (que será marcada consoante o número de interessados e a sua disponibilidade).
Ou seja, este pacote de 5 horas, que inclui nível 1B, é feito numa única sessão. O nível de estrada será feito noutra."

Mapa:
http://maps.google.com/maps?f=q&source=s_q&hl=en&geocode=&q=Avenida+Gomes+Pereira+11,+Lisboa,+Portugal&sll=38.707054,-9.135488&sspn=0.216474,0.529404&ie=UTF8&hq=&hnear=Av.+Gomes+Pereira+11,+Lisbon,+Portugal&ll=38.749649,-9.197128&spn=0.00169,0.004136&t=h&z=18
Fonte:
http://bicicletanacidade.blogspot.com/
Imagem:
http://3.bp.blogspot.com/_MPIHCHqarz4/S_l8gtf1dLI/AAAAAAAABY8/CSAnIEx_v60/s1600/benf_embi_FINAL.jpg

1 de Junho, 2010: Dia Mundial da Criança - CCB

"DIA MUNDIAL DA CRIANÇA  
DIA
 MUNDIAL DA CRIANÇA - NA FÁBRICA DAS ARTES E NO JARDIM DAS OLIVEIRAS © 
MARISA LOURENÇO
01-06-2010 a 01-06-2010
DIA MUNDIAL DA CRIANÇA - PARA ESCOLAS E FAMÍLIAS 



NA FÁBRICA DAS ARTES E NO JARDIM DAS OLIVEIRAS
 Para podermos abraçar as crianças, a Fábrica das Artes preparou um dia especial cheio de propostas que nos levam a mergulhar no universo das histórias. Pela mão dos nossos artistas iremos atravessar este dia na companhia dos livros, música, teatro, dança e pintura.


Já viram como as crianças brincam?
Quando aparece uma coisa nova, ao descobri-la, as crianças olham, ouvem, sentem, cheiram, desmancham, mostram, partilham, exploram, investigam, guardam, riem e choram; e a condição para a largar sem hesitação é que apareça outra coisa nova e tudo para inventar.


Brincar...as crianças ensinam muito mais do que aprendem!
Local FÁBRICA DAS ARTES | JARDIM DAS OLIVEIRAS   




 © 
JAVIER SAÉZ CASTÁN / ORFEU NEGRO ANIMALÁRIO UNIVERSAL DO PROFESSOR REVILLODOficina
Com
SUSANA ALVESÀs 10:00 e 14:00 (duração 2:00h)
Dos 5 aos 9 anos
Entrada Livre mediante inscrição
Atelier estrambólico para crianças. Vem descobrir o mirabolante universo deste Animalário, onde existem os mais extraordinários animais: um tigre com corpo de vaca e cabeça de galinha ou um hipopótamo com corpo de pulga e rabo de peixe. Nesta oficina vamos conjugar a expressão corporal com a expressão plástica e, respondendo a um sem-número de perguntas, tu próprio vais tentar dar forma ao animal que inventaste.

http://www.orfeunegro.org/


 conTApete  conTApete 
Contadores de históriasNarradores NUNO COELHO | LUIS CORREIA CARMELOÀs 10:00 | 12:00 | 14:00 | 17:00 (duração 1:00h)
Dos 3 aos 10 anos
Entrada Livre mediante inscrição
Um conTApete é sempre um tapete e um livro. O conTApete é um espaço organizado, uma porção do mundo em miniatura feito de tecido, material tão próximo da criança, associado ao conforto da cama, do colo do adulto (com significado afectivo para a criança), da roupa que a aquece e protege. E cada conTApete é a promessa de uma história para ouvir e descobrir no livro que o acompanha.

http://www.trimagisto.com/
 
 BIG RORY & OCHIE THE DOG BIG RORY & OCHIE THE DOG
SURREAL MCCOY (Reino Unido)
Teatro de Rua
Às 11:00 | 13:30 | 16:30  (duração 40m)
Duração 40 minutos
Para todos
Entrada Livre
Autoria e performers MIKE ROWAN E KRISTEN ROWAN
Co-produção
A TARUMBA – TEATRO DE MARIONETAS
Big Rory é um gigante escocês que toca gaita-de-foles e Ochie é o seu fiel cão
, muito amado, mas também muito maroto. Ninguém consegue ficar indiferente ao seu passeio caótico e tudo pode acontecer... Um espectáculo deambulatório onde a gargalhada é garantida.


 © 
KALPA CRL CEGARREGA
Com ANA SOFIA PAIVA | RICARDO SANTOS ROCHA
Contadores de histórias
Às 12:15 | 15:00 | 17:30 (duração 40m)
M/6 anos
Jardim das Oliveiras
Entrada Livre  
Concepção e Interpretação ANA SOFIA PAIVA | RICARDO SANTOS ROCHA 
Produção CEGARREGA


CEGARREGA é um projecto de contadores de histórias
com uma forte componente musical com base em recolhas de contos, lengalengas e cantares da tradição oral portuguesa. As várias cegarregas são espectáculos baseados numa forte oralidade que abordam textos e temáticas do nosso imaginário tradicional. Dois contadores, com vários instrumentos, cantarão e contarão muitas histórias dentro de uma história. Coisas inacreditáveis! Coisas de bichos... uma autêntica cegarrega!

INSCRIÇÕES
As inscrições devem ser feitas pelos telefones +351 213 612 899/ 898 ou pelo fax +351 213 612 859. 
fabricadasartes@ccb.pt
Contactos > Maria José Solla | Manuel Moreira | Tânia Guerreiro
Todos os dias úteis das 11:00 às 13:00 e das 15:00 às 18:00.
"

Transportes
Autocarros: 28/714/727/729/732/751
Eléctrico: 15

Fonte e imagens:
http://www.ccb.pt/sites/ccb/pt-PT/MaisNovosFamilia/Oficinas/Pages/DIA%20DA%20CRIANCA2010.aspx